de Nat para amigos

Preciso vê-lo ser feliz de verdade. E neste dia que é tão especial, não quero apenas dar-lhe parabéns , quero desejar-lhe toda felicidade do mundo. Forte abraço

Conheço um montão de gente, mas poucos são os que me farão dizer: Não importa o tempo , a distância nem a hora, se precisar estarei contigo

Amigo de verdade é aquele que te diz: Em qualquer tempo a qualquer hora, pode contar comigo

Vamos dividir esta carga, te ajudarei para que chegues ao final do caminho

 

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

http://pt.gravatar.com/esportealpinat

Gurgel G15 CD 1980

Desde sempre queria ter um veiculo como este. Apareceu a oportunidade depois de muita procura e a agarrei como pude. O bichão estava demasiadamente feio, muito maltratado . Os trabalhos de conserto que lhe fizeram foram horríveis, ficaram tétricos. Pensei que teria de chamar algum super herói para dar conta do recado. Tomei para minha própria lavra a empreitada, visto que deveria ser feito um trabalho bonito para evitar contratempos no futuro. E não poderia culpar a ninguém.Fui até Bacaxá (Litoral norte do Rio de Janeiro) onde fui muito bem recebido pela família dona do veiculo (eram os segundos donos). Onde jantei e pernoitei. Dia seguinte contratei os serviços de transporte e rumamos para o Rio com o Gurgel balançando encima da prancha. O destino final era a casa da família de um amigo de mais de 40 anos ( dos anos 60) José Carlos Soler Teixeira dos Santos e Anna Pires Soler Teixeira dos Santos que cedeu um espaço para a recuperação e eventuais modificações. Será meu endereço nos finais de semana por muito tempo.Gurgel do Natanael é uma tentativa de ajudar a outros G15 na recuperação, quando seu proprietário estiver sem “grana” (foi exatamente assim que aconteceu, eu estava “duro”. Tentarei com fotos e algumas palavras mostrar fases da recuperação e modificação. Fiz algumas fotos quando lembrei e também quando fui acompanho de Mariana, minha caçula que fez mais algumas, a quase totalidade das fotos são do Zeca (José Carlos Soler Teixeira dos Santos Filho, sobrinho emprestado) filho de Anna e Carlinhos na casa onde esta meu bichão, onde tenho passado muitos fins de semana descansando e me divertindo como: Laminador, serralheiro, mecânico, pintor, eletricista,designer mecânico, soldador e algumas outras funções.  Se estiver interessado em ver um pouco mais da recuperação do Gurgel G15 entre em: http://alpinat1949.wixsite.com/gurgel-do-natanael

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

diga sem sofismas

 3 03America/Bahia novembro 03America/Bahia 2010 às 23:40

São Sebastião do Rio de Janeiro                                             Cidade Maravilhosa                                                               por esportealpinat
DIGA O QUE DISSERES OU QUISERES SEM SOFISMAS. A IMPORTANCIA SERA SOMENTE A CONSEQUENCIA, MAS O PIOR DISCURSO SERA AQUELE EM QUE A AÇÃO NÃO SEJA PRECEDIDA DA PALAVRA

Resumo

ResumoResumos são pequenas descrições opcionais do conteúdo do seu post feitas manualmente, que podem ser usadas em seu tema. Aprenda mais sobre resumos manuais.

Enviar trackbacks


(Separe vários URLs com espaços)

Os trackbacks são formas de noficar sistemas de blog obsoletos que você criou um link para eles. Se você criar links para outros sites WordPress eles serão notificados automaticamente usando pingbacks, nenhuma outra ação é necessária.

Discussão


Comentários

Nenhum comentário ainda.

Slug

Slug

Autor

Autor esportealpinat

Revisões

  • 3 de novembro de 2010, às 8:13 por esportealpinat
  • Likes and Shares

    São Sebastião do Rio de Janeiro

    Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

    Olá, mundo!

    Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!

    Publicado em Não categorizado | 1 Comentário

    Escritos do Nat

     

    MUNDO EM RECESSO 

     

     

    O tempo passa.  Um ser nasce, cresce e morre. Nada vê.

     

    O jovem em revolta. A criança
    não vê, sente.

     

    O tempo passa, o jovem luta e
    morre, perde;

     

    Mais e mais guerreia. Que
    luta é essa? Lutar pra que?

     

    E o tempo vai passando.

     

    Nasce mais um serzinho para
    esta total desumanidade.

     

    Você vai tomar a pílula?

     

    O tempo não para. Guerras,

     

    Guerras e guerras em uma só
    geração.

     

    Guerras das mortes. Mortes,
    desolação em massa.

     

    Desolação, miséria, miséria,
    miséria!!!

     

    Que furor insano!

     

    Que é da crença?

     

    Pode a ciência trazer a paz?

     

    Ou a ciência só faz a guerra?

     

    Será a paz tão distante?

     

    Mais longe que a lua? Vênus?
    Marte?

     

    A ciência a serviço do homem.

     

    O homem a serviço da ciência.

     

    São  bombas e bombas e bombas.

     

    Guerras fazem bombas, bombas
    fazem guerras.

     

    O que fará a paz?

     

    O tempo passa…

     

    Um ser…

     

    …que pensas?

     

     Sombras na noite?

     

    Não sabes? Responda-me.

     

     Não ouves ou não houves?

     

    Os homens morreram!

     

    A humanidade dorme.

     

    Seus olhos são estranhos.

     

    Ah! Sim, és um autômato

     

            ——–*——–

     

    Publicado em Textos e Poesias | Deixe um comentário

    Escritos do Nat

     

    ORAÇÃO 

     

    Nasce o sol, cai a chuva.

    Venta fraco, venta forte.

    Tudo isto;

    No centro, Leste e Sul.

    Porque então?

    Fome e seca no Norte
    Nordeste?

    Vem o frio.

    Vem o verão.

    Aqui tudo passa sem
    desolação.

    O Nordeste quando inverna

    Gela tudo:

    Alma, mão e canela,

    Olhos, pés e bexiga.

    Gela também o coração

     

    Vou pedir a todos os santos

    Com a voz da oração.

    Mais alto que todos devotos

    Assim: Senhor de tudo,
    santos,

    Anjos e querubins, irmãos.

    -Dae chuva, com um pouco de
    sol

    -dae comida e alegria aos
    corações

    -dae a benção para aquelas
    bandas

    -dae um pouco de assistência,
    para o povo do sertão

    ; farinha, chuva e sol,
    trabalho, arroz e feijão.

    Se puderes isto fazer, e os
    homens grandes não impedirem.

    Creia-me Senhor, será a
    solução.

     

             ——–*——–

    Publicado em Textos e Poesias | Deixe um comentário

    Escritos do Nat

    QUERIA 

     

    Queria  meu corpo no teu

    Queria os teus olhos nos meus

    Queria do teu canto a vida

    Queria todo o teu cantar

    Queria os teus lábios nos
    meus

    Teu colo junto ao meu pulsar

    Queria sentir o teu perfume

    E meu o teu amor primeiro.

    Queria o universo do teu
    corpo

    Queria em teus olhos as
    estrelas

    Queria pelo menos existisses

    Queria que tudo fosse
    verdadeiro

    Queria que teus lábios fossem
    o céu

    E teu colo meu leito
    derradeiro.

     

    B. Aires,02/11/72

    Publicado em Textos e Poesias | Deixe um comentário

    Escritos do Nat

    CORAÇÃO…  PORQUE? 

     

    Meu anjo, hoje é dia e festa,
    alegria.

    Vamos! Sorria.

    Porque os olhos reclinados?

    No meu jardim nascestes
    rainha,

    Já esquecias?  Vamos viver a vida,

    Vamos, sorria.

    És a vida que acalenta meus
    sonhos,

    Tudo, tudo e algo mais.

    És meu sonho perfumado.

     

            
    ——–*——–

    Publicado em Textos e Poesias | Deixe um comentário

    Escritos do Nat

    PENSAR  

     

    Pensar que tristeza é estado
    perpétuo.

    Pensar que o Mundo é um todo
    colorido

    Pensar que a vida é vida, sem
    mesmo o afeto.

    Pensai então, que nunca,
    nunca tenha vivido.

    Pensai então, que a vida não
    tenha existido.

    Pensai então que não houvera
    sofrido.

    Pensai então, que estais
    sorrindo… ou,

    Pensai que uma aurora está
    raiando.

    Pensai que o pensamento ainda
    é livre

    …Ou, pensai o que ao
    pensamento vier.

     

            ——–*——–

    Publicado em Textos e Poesias | Deixe um comentário

    Escritos do Nat

    FUI     

     

    Foi n’um dezembro, você se
    lembra?

    Já é quase feito um ano.

    Não, você não deve  lembrar…

    Seus olhos não me viam.

    Seria tão bom, seria mais tempo…

    Eu seria mais feliz.

    Foi numa festa de fim de ano.

    Já vejo outra.

    E esse tempo entre uma e
    outra?

    É tudo um nada,

    Um vácuo na existência.
    Porque?

    Não, não tente responder, não
    conseguirias…

    E eu já parti ontem.

     

            ——–*——–

    Publicado em Textos e Poesias | Deixe um comentário